Construções e Reformas

Construções e Reformas em Nossas Igrejas

1. A Comunidade São Frei Galvão está trabalhando para comprar uma área para a construção do seu primeiro templo. Infelizmente, a arrecadação da comunidade é muito pequena e vai ter que esperar uma ajuda do FAIP (Fundo de Ajuda Inter paroquial). Não existe tanta urgência na aquisição do imóvel, já que na “Quinta das Laranjeiras”, bairro onde funciona a comunidade, por ser bastante rural, ainda existem muitos áreas à venda. Até lá, as celebrações continuam sendo realizadas mensalmente nas residências dos moradores.

2. A Comunidade Nossa Senhora d’ Oropa depois que, por milagre, ganhou dois lotes no Jardim Penha de França, bem próximos ao Jardim Europa, conseguiu, com a ajuda do Fundo Paroquial, dar entrada em mais um lote. As prestações estão sendo pagas com o auxilio da Com. Santa Isabel. O sonho, agora, e adquirir o quarto lote, formando assim, uma área que ocupará a frente de um quarteirão. Essa área é necessária para a construção de uma Igreja grande, com salas, salão, etc. Para esta comunidade a aquisição desse quarto lote é urgentíssima, tendo em vista o interesse do proprietário do imóvel em vendê-lo e a localização dele.

3. A Comunidade Sagrada Família contratou uma empresa para demolir as duas casas que foram adquiridas com o esforço da Comunidade e ajuda do FAIP. O serviço foi feito em troca do material que sobrou da demolição. O topografo Roberto fez o levantamento das curvas de nível de toda a área. Esse levantamento já foi levado para a arquiteta Paula Moraes que, com muita boa vontade, já está projetando um templo com seus anexos. Enquanto não sai o projeto e a construção, a comunidade continua usando o salão vizinho, alugado, na própria Cidade Nova.

4. A Comunidade São Francisco de Assis, do Portal do Éden: depois da reforma da Capela do Santíssimo Sacramento, que ficou linda, sacristia, banheiros, vitrôs da igreja, pintura da igreja, foi preciso demolir a parede recoberta de pedras que existia no presbitério para sua ampliação. A reforma continua na fachada, com construção de torre para o sino. Prevê-se outras mudanças, inclusive ampliação do salão, sempre com a orientação da arquiteta Rose. Importante é a participação dos fiéis, em forma de mutirão em todas essas mudanças.

5. A Comunidade Imaculada Conceição, está com sua pequena, mas bonita igreja, em fase de acabamento. A comunidade construiu o templo em tempo recorde, praticamente com recursos próprios e muito trabalho. As pedras de granito foram trazidas do Estado do Espirito Santo e já foram colocadas como piso. As paredes estão rebocadas, portas e vitrôs em seus lugares. Os bancos foram doados por uma comunidade da Paróquia São Luiz e, embora sejam de segunda-mão, couberam perfeitamente no espaço.

6. A Comunidade São João Batista, depois que a sua pequena igreja foi demolida para dar espaço à enorme festa que acontece anualmente no Parque Maeda, passou a celebrar num espaço improvisado, junto às moradias dos funcionários. Aguarda-se a liberação de outra área para construção de uma nova igreja.

7. A Comunidade Santo Antônio está lutando para terminar a construção de grandes banheiros que serão muito úteis para as festas que a Paróquia lá realiza, principalmente a Festa Junina. Também se pretende reunir no local crismandos e outros grupos para retiros. Além desse gasto muito necessário, a comunidade já devia ao Fundo Paroquial por causa do empréstimo contraído para a construção de um muro de sustentação do alambrado que ameaçava ruir, e de um grande galpão. Mas se Deus quiser, com a ajuda de todos, em breve esses gastos serão quitados.

8. A Comunidade São José iniciou uma reforma tendo em vista a necessidade de criar uma capela para o Santíssimo Sacramento. Dessa mudança desencadearam-se muitas outras, como a ampliação do presbitério e do corpo da Igreja. Tudo em boa hora, pois a participação dos fiéis do Bairro dos Carvalhos aumentou muito. Bem iluminada , à noite, a pequena igreja se destaca como um monumento à fé, em meio à escuridão do bairro rural que não possui iluminação em suas estradas.

9. A Comunidade Nossa Senhora do Sagrado Coração ainda está pagando ao Fundo Paroquial os degraus de granito colocados no presbitério da bela igreja do Complexo Hospitalar Pirapitingui. Assim que esse gasto for liquidado, serão feitas as peças que compõe o local: cadeira do celebrante, mesa da Palavra, altar e piscina batismal. Também essas peças serão de granito. Numa parede levantada no presbitério foi colocada a imagem da Padroeira, que futuramente será levada para a entrada da igreja, como que acolhendo o povo que chega. Nessa grande parede pretende-se mandar pintar um painel de Cristo ressuscitado.

10. A Comunidade São Francisco de Assis do Complexo Hospitalar Pirapitingui sempre surpreende por sua beleza sóbria. O painel de mosaico, que retrata a cruz de uma igreja da cidade de Assis, por meio da qual São Francisco se comunicou com Jesus, não tem igual nas redondezas. Sem dúvida é a obra de arte mais bonita da paróquia. A comunidade acabou de realizar pequenas reformas atrás do presbitério para melhorar a segurança e a comodidade de todos.

11. A Comunidade Nossa Senhora da Penha passou mais de ano sob os cuidados da paróquia Santa Catarina, do Bairro Catarina, cidade de Mairinque. Isso se deu graças à proximidade uma da outra. Agora, precisou retornar para os cuidados de nossa paróquia. Na verdade, o local onde foi construído o salão, geograficamente pertence à nossa paróquia. Mensalmente celebramos missa no local, mas a comunidade frequentemente celebra também sob a presidência de padres passionistas que mantêm uma fazenda de recuperação de homens, bem próximo do local.

12. A Comunidade Santa Isabel, que funciona como sede da paróquia, por ser a comunidade mais antiga e depois de ter passado por muitas intervenções para adaptação da Casa Paroquial e Secretaria, está precisando de muita manutenção. Acontece que ela arca com a maioria dos gastos paroquiais e ainda ajuda a Com. Nossa Senhora d’Oropa a pagar um lote há pouco adquirido. Se Deus quiser, assim que essa ajuda não for mais necessária, se voltará a cuidar das construções que compõem essa Comunidade da Vila Martins.

13. A Comunidade Nossa Senhora Aparecida, da Cidade Nova, nos últimos anos, fez várias pequenas reformas que embelezaram muito o templo onde celebra. Falta ainda muita coisa a fazer e assim que o caixa da comunidade permitir, as obras serão retomadas.

14. A Comunidade Sagrado Coração de Jesus, passou por várias intervenções que melhoraram muito a beleza da construção. A liderança sabe que não se pode parar de fazer a manutenção do prédio e por isso está sempre atenta ás novas necessidades.